Segunda-feira, Maio 11, 2009


Não precisava

Eu não pedi a Deus pra que você aparecesse.
Também não pedi pra não aparecer.
Mas não precisava ser assim, no meio de tantas situações. De repente!
Tão de repente que não precisava...

Você não precisava ser assim simpático, atencioso e sorridente.
E mesmo distante, tão presente...
Não precisava saber coisas que eu não contei, nem se aproximar tanto, nem existir tanto. Você não precisava estar ali.
Mas estava. E desde então está aqui também...

Não precisava, mas você passou a existir pra mim...
Existir não só em em palavras escritas, lidas, ouvidas, faladas e sentidas.
Mas no meu pensamento e também em presença, em distânica, em saudade e em vontade, mas nunca em ausência.
E eu sei que de alguma forma eu existo também, ai e aqui, pra você. Mas não precisava...


DANIELA RESENDE - 01:49

Comments:

Sábado, Setembro 22, 2007


Cansada de pedir, de tentar e não ganhar...
[Mais uma história daquelas de textos antigos por falta de um novo]

Quando voltei, voltei pedindo amor e contando com palavras de Tati Bernardi que amor não se pede. Das palavras dela, adaptei as minhas. Amor se dá. E o que mudou? Tudo... nada é como antes. Amor não se pede. Talves todas as pessoas tenham razão e a gente não. Amor se dá. Como duas pessoas podem ser assim tão burras, insistentes e cabeça dura ao mesmo tempo? O que é que a gente vê? O que é que a gente tem? O que é afinal que a gente sente?
Tento achar respostas, mas nessa busca encontro ainda mais perguntas. Amor não se pede. Notou? Não escrevo agora em 3ª pessoa, escrevo em 1ª que é pra facilitar e não ficar dando voltas nas respostas. Mas onde estão? Amor se dá. Sigo reto, em direção a realidade, amor não se pede, e sinto bem lá no fundo que a realidade vai fazer sofrer. Amor se dá. Vai doer. Como você já dizia antes: "e quem falou que ia ser fácil?" Ninguém, meu amor. Se fosse absurdamente fácil, se fosse simples, não teria graça, não teria charme, não teria luta, nem guerra, nem batalhas... porque o que a gente gosta mesmo é de tornar tudo dificilmente complicado. E hoje, com mais certeza do que antes, e com menos súplica, eu lhe digo, que amor, meu amor, não se pede. Amor se doa, amor se conquista. Amor se dá!

[no mesmo clima, com sentimentos exaltados, o velho texto hoje ganhou o seu direito de ser publicado]
Beijos crianças, prometo que voltarei mais leve!!

DANIELA RESENDE - 21:07

Comments:

Sexta-feira, Junho 01, 2007


Porque toda história que se preze, tem um "mas"...

"Essa moça está diferente..."
[Cantaria assim Chico Buarque... se não fosse muita pretensão!!]


E o lugar que ela ocupava de novo já não era o mesmo lugar... e a posição que a colocaram de novo não era a melhor... e se via sempre culpada de novo, sempre aceitando todas as coisas, por mais que detestasse tamanha submissão.
Deixou de ser importante para si e para ele, de novo.

E foi se acostumando, por mais que esse tal comodismo a incomodasse tanto... e foi se anulando e deixando as coisas das quais mais gostava... parou de escrever, parou de dançar... parou. Mas não queria parar... queria voar, dançar, rodopiar... ser leve como há muito não era.

Então um dia, ou melhor, uma noite, alguma coisa aconteceu e a vida dela encheu-se de cores e sorrisos e olhares e vontades que ela simplesmente não entendia. Não entendia como nem por quê. Como poderia estar ali... de novo, colados nela com a felicidade, a intensidade... de um jeito que mesmo se quisesse, não teria como disfarçar. Todos eram contagiados pelos sorrisos que ela passou a distribuir de graça e pelo bom humor que tornava a rotina melhor. A menina (aquela, que estava escondida bem dentro dela) estava mesmo diferente...

E se perguntava por todo o tempo como poderia ser assim.
Mas não haviam explicações o tempo todo, nem lógica, muito menos respostas, e ela parou de tentar entender... foi viver seu momento de loucura, desse jeito egoisticamente novo. (Se o tempo todo alguém aqui pode ser egoísta, porque ela também não pode??)

Mas... (porque toda história que se preze, tem um "mas") pra viver, desse jeito novo, precisava deixar o velho jeito e já havia se acostumado tanto, com tudo... teve receio de não conseguir seguir sem muletas, pior, teve receio de nem ao menos tentar, e se acovardar como sempre... não sabia o que ia sentir, mas sabia que ia precisar arrancar, e arrancar qualquer coisa, dói. Dói e é nela que dói, nela que já conhece tanto de dor... não sabia o que é que mais valia, o colorido incerto dos novos ou a monotonia e certeza dos velhos.
"Na minha frente há 2 caminhos, e são os 2 floridos. Eu continuo sem buquê." (Rani Baby fala por mim!)


.::. É voltei assim, cheia de adendos, cheia de parênteses e observações... mas voltei, e estar aqui, no meu cantinho, é o que importa, é o que sempre me faz bem. Porque é aqui que eu posso expressar tudo e qualquer coisa, é aqui quando há mais alguma coisa, de alegre ou triste, que eu me encontro. Que eu encontro vocês!

DANIELA RESENDE - 10:27

Comments:

Sábado, Março 17, 2007


(post inútil, só pra aproveitar que lembrei essa senha e recuperei meu blog, post sem foto, sem figura, só pela felicidade de tê-lo recuperado!)

Nossa... qto tempo!!
Qta saudade... nem acredito que estou aqui outra vez (e que há dias estou tentando lembrar essa senha do blogger e nada nesse mundo que eu vivo me deixava lembrar - nem o blogger me ajudava, mas tudo bem, estou aqui =p) quero mudar (sempre, pra variar...) quero mudar também esse template, pensei em mudar esse endereço, mas acho que já são muitas mudanças numa reviravolta só... enfim, momento de dizer olá e dar um até breve, até eu postar algo que preste (ou que não preste... pq afinal, pra quem é que presta???). Momento de dúvidas. E mudanças... mas disso eu já falei, e vou continuar, por um bom tempo, falando...
Até breve, pessoas que voam!

DANIELA RESENDE - 11:50

Comments:

Quinta-feira, Maio 19, 2005


Problemas... Sempre Existiram...
(Humberto Gessinger)
não fui eu
não foi você
nem foi a máquina de escrever
que matou a poesia
não foram os Deuses
nem foi a morte de Deus
não foi o jabá da academia
que matou a poesia
que matou a poesia
o fim de semana
o fim do planeta
a palavra "sarjeta" no fim do poema
problemas... sempre existiram
esteróides anabolizantes
(samplers)
dicionários de rima
o medo do fim no final das contas
problemas... sempre existiram
problemas... sempre existiram
sempre existirão
sempre existirão
sempre existirão
a última palavra é a mãe de todo o silêncio
façamos silêncio para ouvir o último suspiro
descanse em paz a mãe de todas as batalhas
a última palavra é a mãe de todo o silêncio
descanse em paz, dê o último suspiro
façamos silêncio para ouvir o último poema
por que você não soa quando toca
por que você não sua quando ama
ninguém derrama sangue quando perde
guerras de fliperama
por que você não sua quando toca
por que você não sua quando ama
por que você não soa quando toca
por que você não sua quando ama
as mentiras da arte são tantas...
...são plantas artificiais
artifícios que usamos
para sermos (ou parecermos)
mais reais
um pedaço do paraíso
uma estação no inferno
uma soma muito maior do que as partes:
as mentiras da arte
(o último poema)

DANIELA RESENDE - 10:57

Comments:

Quinta-feira, Abril 14, 2005


"Se implorar resolvesse, não me importaria. De joelhos, no milho, em espinhos, agachada, com o cofrinho aparecendo.
Uma loucura qualquer, se ajudasse, eu faria com o maior prazer. Do ridículo ao medo: pularia pelada de bungee jump.
Chorar, se desse resultado, eu acabaria com a seca de qualquer Estado, de qualquer espírito.
Mas amor não se pede, imagine só.
Ei, seu tonto, será que você não pode me olhar com olhos de devoção porque eu estou aqui quase esmagada com sua presença? Não, não dá pra dizer isso.
Ei, seu velho, será que você pode me abraçar como se estivéssemos caindo de uma ponte porque eu estou aqui sem chão com sua presença? Não, você não pode dizer isso.
Ei, monstro do lixo, será que você pode me beijar como um beijo de final de filme porque eu estou aqui sem saliva, sem ar, sem vida com a sua presença? Definitivamente, não, melhor não.
Amor não se pede, é uma pena.
É uma pena correr com pulinhos enganados de felicidade e levar uma rasteira.
É uma pena ter o coração inchado de amar sozinha, olhos inchados de amar sozinha. Um semblante altista de quem constrói sozinho sonhos.
Mas você não pode, não, eu sei que dá vontade, mas não dá pra ligar pro desgraçado e dizer: ei, tô sofrendo aqui, vamos parar com essa estupidez de não me amar e vir logo resolver meu problema?
Mas amor, minha querida, não se pede, dá raiva, eu sei.
Raiva dele ter tirado o gosto do mousse de chocolate que você amava tanto.
Raiva dele fazer você comer cinco mousses de chocolate seguidos pra ver se, em algum momento, o gosto volta.
Raiva dele ter tirado as cores bonitas do mundo, a felicidade imensa em ver crianças sorrindo, a graça na bobeira de um cachorro querendo brincar.
Ele roubou sua leveza mas, por alguma razão, você está vazia.
Mas não dá, nem de brincadeira, pra você ligar pro cara e dizer: ei, a vida é curta pra sofrer, volta, volta, volta.
Porque amor, meu amor, não se pede, é triste, eu sei bem. É triste ver o Sol e não vê-lo se irritar porque seus olhos são claros demais, são tristes as manhãs que prometem mais um dia sem ele, são tristes as noites que cumprem a promessa.
É triste respirar sem sentir aquele cheiro que invade e você não olha de lado, aquele cheiro que acalma a busca. Aquele cheiro que dá vontade de transar pro resto da vida.
É triste amar tanto e tanto amor não ter proveito. Tanto amor querendo fazer alguém feliz.
Tanto amor querendo escrever uma história, mas só escrevendo este texto amargurado.
É triste saber que falta alguma coisa e saber que não dá pra comprar, substituir, esquecer, implorar.
É triste lembrar como eu ria com ele.
Mas amor, você sabe, amor não se pede. Amor se declara: sabe de uma coisa?
Ele sabe, ele sabe."

(amor não se pede - Tati Bernardi)


Amor é amor, e amor não se pede... Não podemos moldar do jeito que a gente quer, do jeito que a gente sonha... não posso agora escrever o qto eu te amo, se vc nem sabe se me ama, se ainda quer aceitar meu pedido pela segunda vez, se ainda quer ter uma casinha ¿rústicomoderna¿ como a que desenhamos, e parar de falar no singular, eu aceito ter aquele cachorro com patas enrugadas que vc tanto quer, eu aceito esperar vc chegar do trabalho perigoso que vc sonha em ter e prometo lhe cobrir de beijos no final do dia, aliviada, só pq vc chegou, eu aceito vc cultivar seus músculos se prometer não virar fisiculturista pq tenho medo de fisiculturistas, aceito puxar sua orelha quando precisar, prometo não parar de pular, pq me deixa feliz, e apertar sua mão bem firme, pq me sinto protegida, aceito buscar água na nossa fonte se vc prometer reconstruir a fonte, e sonhar... aceito viajar de moto e prometo dançar pisando nas uvas pra vc me ver que nem criança, não sei se vai ser bem como criança... prometo enfrentar todas as dificuldades com vc e todas as pessoas que precisar, aceito todos os abraços de urso que vc quiser me dar, aceito não descobrir os segredos das receitas se prometer cozinhar, aceito que me sinto acolhida deitada no teu peito, onde posso sorrir e chorar, prometo cuidar bem de vc se vc de mim tb cuidar, aceito esperar vc entender que algumas coisas simples são simplesmente importantes para mim, aceito e prometo estar sempre ao seu lado, com todas as coisas boas que tínhamos antes, com tudo o que aprendemos com os nossos erros e com uma vontade infinita de acertar e te fazer feliz sem ter fim! Sempre. Para o resto da vida. Aceito te amar.

DANIELA RESENDE - 13:42

Comments:

Quarta-feira, Março 09, 2005


Tudo tem o seu tempo, o tempo certo para acontecer
Da melhor forma possível.
E se não aconteceu, é porque não era o melhor
Ao menos naquele momento...
Andei por direções diversas, mas sempre à frente, buscando em vôos; lições e aprendizados, evoluções e revoluções.
Pessoas passaram, pessoas chegaram, algumas foram mais longe; voaram!
Todas importantes, cada qual a seu modo, com ensinamentos únicos, conquistaram espaço em meu coração, construíram partes de minha história.
... só tenho a agradecer a DEUS por me rodear de anjos disfarçados de seres humanos.

Agora há outra coisa (dentre tantas) a (re)aprender: permitir a menina que habita a mulher, voar, tão leve que talvez possa flutuar...



É tempo de mudanças, até o template mudou... imagine o resto!!!

DANIELA RESENDE - 01:51

Comments:

Quinta-feira, Fevereiro 24, 2005


Post urgente... urgentíssimo... post pra dizer simplesmente que CANSEI, que TENTEI, que fiz TUDO o que eu podia, que ENFRENTEI TODAS as dificuldades, mas que não vou mais fazer isso sozinha.

(post editado)

DANIELA RESENDE - 20:48

Comments:

Sábado, Janeiro 15, 2005


O ano começou! Queria começar o blog bem tb, por isso a demora em postar... lá dentro de mim estava uma bagunça! Mas já estou "arrumando as gavetas". Enquanto a inspiração pra escrever (bem) não vem, continuo aprendendo com vcs, me emocionando com o carinho que por vezes me chega de tão longe...

Querido Cláudio Azevedo, como posso agradecer? O q posso é dizer o qto é importante e especial para mim, meu Nauta preferido, sempre em um novo porto, bem acompanhado por livros, registrando em suas fotos momentos e paisagens das cidades do mundo, obrigada por me engrandecer!

E qto aos e-mails sempre zelosos de Arquimino Novaes??? Quem mais seria capaz de se preocupar tanto com "a garota q voa"?! Só mesmo ele, o homem da barca... o "Sô Arquimino" (é assim q me refiro a vc, "Sô"... demonstrando respeito)!!! Qdo A Barca nasceu, fiquei contentíssima, admirada, boquiaberta... como um homem tão culto, inteligente, um verdadeiro mestre poderia me linkar? E ainda mais, gostar dos meus textos, me respeitar e se preocupar comigo... obrigada!

Um belo dia me surpreendi com um e-mail de uma pessoa que pelo nome não conhecia, era Mário Aragão (Desopilando) ... ao ler suas linhas que tanto carinho traziam, sentimentos dos mais conturbados me invadiram. Sorri, e chorei muito (as lágrimas foram inevitáveis...). Ele entendeu exatamente o que meus vôos significam e a importância que eles têm. Contou-me sobre antigos sonhos de infância... guardo com todo o carinho do mundo aquele e-mail, e sempre guardarei. Não há palavras, nem lágrimas que possam lhe agradecer aquele único e-mail!

E a ??? Sandra é como minha segunda mãe, sempre falando dos ensinamentos de Deus, sempre tentando nos proteger de uma certa forma... Sá, adoro muito vc, vi seu cantinho crescer tb, espero q perdure! Claro, com o Lua estrelada! Obrigada por estar sempre aqui!

Meu querido Insano ( Insano, eu?) já não nos presenteia mais com belas palavras, calou-se. Assim como Pablo Rocha (Sileni), que dedicou poesia a mim... Pablito, adorava ser chamada de "Borboleta" por vc... Insano, adorava ser a garota (insana) q voava através de suas palavras. Escrevam! Por favor... saudades...

AH! Sim, os amigos daqui, como poderia esquece-los?
Diel, já disse antes q o caminho da tua felicidade vai separar a gente, mas só fisicamente, né?! Vou ficar rezando, fazendo figa, torcendo para q tudo de certo p/ vc, o melhor dos melhores amigo do mundo... vou sentir muita saudade, aliás, já estou sentindo... te amoooooooo grilo!

Rafaela, obrigada por me agüentar ! Por agüentar meu rivotril, meu choro e meu riso, por chorar comigo no meio da rua sem a menor vergonha, pelas brigas, por querer sempre o bem de todos, por ser tão amiga, no real sentido da palavra! Tenhamoooo!

É tanta gente... infelizmente não posso escrever sobre todos (ninguém ia ter paciência pra ler, rs...), Dedé (primo lindo!), Delci, Regina, Nathália, Dedé (q ñ é primo mas é lindo tb!), Dani e Nilsinho (casal lindo do ano!), Akx,Tutu (qdo chegar te ligo!), Mila (irmã linda!), Cacá (mãe linda!), Ramon, Sol, Karina (povo doido...), Rick, Renata, Hilda (vó lindonaaa!) são pessoas que sem dúvida acrescentaram, q construíram pedaços da minha história e conquistaram meu respeito, meu carinho e admiração por toda a vida!Enfim, pessoas especiais!


Obrigada por iluminarem a minha vida!

DANIELA RESENDE - 18:10

Comments:

Domingo, Dezembro 19, 2004


Enfim, é Natal...
desejo que não seja uma data meramente comercial, somente virtual ou impessoal, mas que seja real.
Que aprendamos a doar, principalmente afeto...
Que a esperança renasça nos corações, que possamos não só sonhar, mas lutar e realizar.
Que nossos pensamentos sejam mais positivos e nossos sentimentos possam se renovar.
E que independente de credos e crenças Jesus aumente, a cada instante, a nossa FÉ!
É com carinho que desejo saúde, paz e muito amor a todos.

DANIELA RESENDE - 20:19

Comments:

Quinta-feira, Novembro 25, 2004


Havia sol, mas o gelo a consumia. A irritação, antes camuflada, se revelou e não pôde fingir mais uma vez não perceber, então decidiu naquele dia se esconder.
E se escondeu tão bem que mesmo ela não se encontrava, então antes que outro o fizesse, se afastou do mundo, desligou o telefone, fechou e trancou a porta, a janela aberta ficou... caso precisasse voar.
Deixou a música bem alta para, quem sabe, seus males espantar... não queria ouvir nem falar, ver nem enxergar as coisas que seu coração teimava em lhe mostrar.



Escrevi este texto há algum tempo, sei que deixei meu cantinho abandonado, mas tenho mt carinho por ele e pelas pessoas que conheci através dele. Talvez suma um pouquinho de novo, é que as provas na faculdade irão começar... mas vou me esforçar p/ escrever com mais freqüência e visitar os amigos. Beijos***

DANIELA RESENDE - 01:36

Comments:

Terça-feira, Outubro 26, 2004


DANIELA RESENDE - 15:02

Comments:

Domingo, Setembro 26, 2004


É PRIMAVERA e talvez eu possa ainda te amar, MEU AMOR...
Mas já não trago rosas para lhe dar...
Trago tudo aquilo o que já conheces
E muito de coisas novas e belas
Alegres
Trago a felicidade hoje comigo e não,
Não vou me separar dela
Outra vez, não por sua causa..
Trago novas dores
Alguns amores
Infinitas ilusões...
Sonhos e decepções.
Ah, esperança sempre está ao meu lado
Sim... gosto disso
Gosto das minhas várias evoluções
E das revoluções...
Gosto até mesmo de você
De novo
Claro, sempre de um jeito novo
E detesto quando me inspira a escrever...
Tenho que me esquecer
De lembrar de você....

DANIELA RESENDE - 03:05

Comments:

Sábado, Setembro 04, 2004


Você gosta da sua companhia ?

"Não me interessa saber como você ganha a vida. Quero saber o que mais deseja e se ousa sonhar em satisfazer os anseios do seu coração.
Não me interessa saber sua idade. Quero saber se você correria o risco de parecer tolo por amor, pelo seu sonho, pela aventura de estar vivo.
Não me interessa saber que planetas estão em quadratura com sua lua. O que eu quero saber é se você já foi até o fundo de sua própria tristeza, se as traições da vida o enriqueceram ou se você se retraiu e se fechou, com medo de mais dor.
Quero saber se você consegue conviver com a dor, sem tentar esconde-la, disfarça-la ou remedia-la.
Quero saber se é capaz de conviver com a alegria, de dançar com total abandono e deixar o êxtase penetrar até a ponta dos seus dedos, sem nos advertir que sejamos cuidadosos, que sejamos realistas, que nos lembremos das limitações da condição humana.
Não me interessa se a história que você me conta é verdadeira. Quero saber se é capaz de desapontar o outro para se manter fiel a si mesmo. Se é capaz de suportar uma acusação de traição e não trair a própria alma, ou ser infiel e, mesmo assim, ser digno de confiança.
Quero saber se você é capaz de enxergar a beleza no dia-a-dia, ainda que ela não seja bonita, e fazer dela a fonte da sua vida.
Quero saber se você consegue viver com o fracasso, e ainda assim pôr-se de pé na beira do lago e gritar para o reflexo prateado da lua cheia: "Sim!!!!"
Não me interessa quem você conhece ou como chegou até aqui.
Quero saber se vai permanecer no centro do fogo sem recuar.
Não me interessa onde, o que ou com quem estudou.
Quero saber o que sustenta, no seu íntimo, quando tudo mais desmorona.
Quero saber se é capaz de ficar só consigo mesmo, e se nos momentos vazios realmente gosta da sua companhia."

DANIELA RESENDE - 02:52

Comments:

Terça-feira, Agosto 24, 2004


Foi o mais forte. O mais intenso. Foi o melhor e o pior... o mais verdadeiro. O mais importante. O mais repugnante. O mais arrebatador e o mais insignificante. O mais sufocante. O mais libertador. O que mais provocou a dor... e arrancou mais sorrisos. E lágrimas e soluços. O mais paciente e impaciente também. O mais encantador. O mais puro. O mais indecente. O mais provocante. O mais instigante e mais instigado... o mais desconcertante. O mais decepcionante e também decepcionado... o mais amado. O mais detestado... o mais marcante. O mais certo e errado. O mais desejado. O mais especial... foi.


DANIELA RESENDE - 00:38

Comments:

Terça-feira, Agosto 03, 2004


Você é o que você gosta

Quem sou eu?? Quando não temos nada de prático nos atazanando a vida, a preocupação passa a ser existencial. Pouco importa de onde viemos e para onde vamos, mas quem somos é crucial descobrir.

A gente é o que a gente gosta. A gente é nossa comida preferida, os filmes que a gente curte, os amigos que escolhemos, as roupas que a gente veste, a estação do ano preferida, nosso esporte, as cidades que nos encantam. Você não está fazendo nada agora? Eu idem. Vamos listar quem a gente é: você daí e eu daqui.

Eu sou outono, disparado. E ligeiramente primavera. Estações transitórias.

Sou Woody Allen. Sou Lenny Kravitz. Sou Marilia Gabriela. Sou Nelson Motta. Sou Nick Hornby. Sou Ivan Lessa. Sou Saramago.

Sou pães, queijos e vinhos, os três alimentos que eu levaria para uma ilha deserta, mas não sou ilha deserta: sou metrópole.

Sou bala azedinha. Sou coca-cola. Sou salada caprese. Sou camarão à baiana. Sou filé com fritas. Sou morango com sorvete de creme. Sou linguado com molho de limão. Sou cachorro-quente só com mostarda e queijo ralado. Do churrasco, sou o pão com alho.

Sou livros. Discos. Dicionários. Sou guias de viagem. Revistas. Sou mapas. Sou Internet. Já fui muito tevê, hoje só um pouco GNT. Rádio. Rock. Lounge. Cinema. Cinema. Cinema. Teatro.

Sou azul. Sou colorada. Sou cabelo liso. Sou jeans. Sou balaio de saldos. Sou ventilador de teto. Sou avião. Sou jeep. Sou bicicleta. Sou à pé.

Você está fazendo sua lista? Tô esperando.

Sou tapetes e panos. Sou abajur. Sou banho tinindo. Hidratantes. Não sou musculação, mas finjo que sou três vezes por semana. Sou mar. Não sou areia. Sou Londres. Rio. Porto Alegre.

Sou mais cama que mesa, mais dia que noite, mais flor que fruta, mais salgado que doce, mais música que silêncio, mais pizza que banquete, mais champanhe que caipirinha. Sou esmalte fraquinho. Sou cara lavada. Sou Gisele. Sou delírio. Sou eu mesma.

Agora é sua vez.
(Martha Medeiros)




Bom, então vamos lá... EU por mim mesma:
Sou Salvador Dali, impressionismo, mais impressionada... Pablo Neruda, Tim Maia, Jô Soares, Veríssimo, Rita Lee, Lenny Kravitz, Drumond, Itamar Assumpção, Martha Medeiros e Jabour.
Sou balada. Sou bailarina. Sou dança.
Sou água, mas já fui fogo.
Sou HALLS de menta, coca-cola e guaraná. Mais frita que cozida...
Sou açaí. Muito massa e muita massa... do mar, sou peixe e camarão, do boteco sou torresmo.
Sou muito doce, todos do mundo, mais chocolate...
Sou comédia, romântica de preferência, filminho "água com açúcar"... sou cinema, mas gosto de vídeo e edredom.
Sou sapatinho de lã e salto alto.
Sou poesia e música. Sou literatura e português, nada matemática.
Sou azul. Ultimamente mais colorida que sóbria.
Mais noite que dia. Mais praia que meio de mato. Do mato sou flor e borboleta, mas não sou muitos bichos.
Sou Campos do Jordão, apesar de ser mais verão que inverno, meio primavera... Sou Sauípe, muito quente...
Mais George Clooney que Di Caprio. Mais Cicarelli que Gisele, mais Daniela...
Sou mais ouvidos que palavras, mais olho que boca. Sou mãos e massagens, com óleo e incenso.
Sou provocação. Desafio. Sou fé. Sou EU!


...E você, quem é???

DANIELA RESENDE - 10:36

Comments:

Segunda-feira, Julho 26, 2004


PRA VOCÊ!

Hoje deixo as lágrimas e as tristezas,
As dúvidas e as aflições
O medo e a própria rejeição
As mágoas e as feridas
Deixo também as lembranças e os sorrisos. Os sonhos.
De lado deixo a saudade e o amor. A felicidade.
Deixo... pra você.
E acima de tudo, deixo você.
Definitivamente.
Se vai sofrer? Não sei, aliás, quem sabe?!
Sei que sofri e que até isso, hoje, deixo exclusivamente pra você.

DANIELA RESENDE - 01:58

Comments:

Quinta-feira, Julho 01, 2004



mandei a felicidade ir embora, e ela foi...

DANIELA RESENDE - 03:03

Comments:

Domingo, Junho 20, 2004


Sumi, por vários motivos, e não sei bem como voltar depois de tanto tempo. Sumi do blog, da aula, acho que sumi de mim, e dos outros. Quero voltar, e querer já é um bom sinal... há pouco tempo, fiz uma lista das coisas que estão me faltando e sobrando, fiz pensando no lado profissional e sentimental, vou coloca-la aqui, para ler sempre... e mudar.

Falta tempo, falta vontade, força e coragem. Falta luta. Sobra comodismo. Falta entusiasmo. Falta um ombro, um abraço, falta paixão. Falta diversão, descontração. Falta fazer e acontecer. Sobram idéias. Sobra atração, calor. Falta amor. Falta arriscar e ficar com o duvidoso, trocar o certo. Afinal o que é certo além de ser feliz? Falta dedicação. Sobra inflamação. Falta inflamar. Ajudei a cicatrizar. Abri minha ferida, mexi e remexi. Lágrimas em seu rosto. No meu, não. Falta emoção. Falta vida. Faltam sonhos. Falta comemoração. Falta enfrentar o mundo. Sobra confusão. Falta conversa. Falta fé e confiança. Falta naturalidade. Sobra ansiedade. Falta atenção. Espontaneidade. Sobra insegurança. Falta sono, disposição.


Entre tantas "faltas e sobras" quase me esqueci de contar... a FELICIDADE bateu lá em casa, procurando por mim... e dessa vez, não a mandei ir embora, apenas aceitei seu convite ;)

DANIELA RESENDE - 19:33

Comments:

Domingo, Maio 23, 2004


Hoje, decidi ir embora
De onde jamais deveria ter voltado
Hoje tive coragem
De jogar "tudo" (daquele nada) pro alto,
E ir embora...
Falei sobre as faltas que sentia
Sabia que ali nada encontraria
Não era isso o que eu queria
Quem sabe um outro dia...


Tela - Dali


você diz que eu te assusto
Você diz que eu te desvio
Também diz que eu sou um bruto
E me chama de vadio

Você diz que eu te desprezo
Que eu me comporto muito mal
Também diz que eu nunca rezo
Ainda me chama de animal

Você não tem medo de mim
Você não tem medo de mim
Você tem medo, é do amor
Que você guarda para mim
Você não tem medo de mim
Você não tem medo de mim
Você tem medo, é de você
Você tem medo, é de querer

Você diz que eu sou demente
Que eu não tenho salvação
Você diz que eu, simplesmente,
Sou carente de razão

Você diz que eu te envergonho
Também diz que eu sou cruel
Que no teatro do teu sonho
Para mim não tem papel

Você não tem medo de mim...

Você não tem medo de mim
Você não tem medo de mim
Você tem medo, é de você
Você tem medo, é de querer

Me amar

Medo De Amar Nº 3
Adriana Calcanhotto

DANIELA RESENDE - 00:40

Comments:

Sábado, Maio 01, 2004


FOFÃO, a revanche...
Quando pequena, tinha um boneco do FOFÃO... pois é, adorava o FOFÃO, e fiquei ainda mais feliz no dia em que descobri que podia "operar" o FOFÃO, então, eu abria com a tesoura a barriga dele, tirava algumas bolinhas de isopor (alguém sabe se é assim mesmo? isopor...) bom, vocês entenderam, e costurava de novo, me sentia o máximo operando meu FOFÃOZINHO! (crianças, não façam isso!) Anos mais tarde, estou eu, indo pra faculdade, já nem me lembrava do FOFÃO (até pq tenho lembrado muito é do fofucho...), quando surge aquele automóvel enoooorme, que eu não sei o nome, cheio de crianças e com vários "bichinhos", dentre eles o FOFÃO!!! Não me contendo de felicidades em revê-lo, acenei pra ele, afinal éramos amigos de infância... ele, não menos contente, se atirou do carrinho em minha direção, enquanto minha amiga gritava (medo do FOFÃO?) e eu a acompanhava... rapidamente ele voltou e subiu naquele carrinho da alegria de novo... será que ele ficou com raiva por causa das operações???

receber uma mensagem do fofucho, a meia noite, no celular, dizendo que ele não se esqueceu de vc... não tem preço. "Existem coisas que dinheiro não compra, para todas as outras, existe o mastercard¿.

DANIELA RESENDE - 22:46

Comments:

Domingo, Abril 11, 2004


a água com a qual foste regada, a alimentou por muito tempo
... mas por muito tempo bebeu da água envenenada
e foi morrendo lentamente por dentro
...nem ela mesma percebia,
era o que a alimentava que a matava,
era o que dava a vida
e tirava
...ela chorava,
amava e detestava
mas ainda assim tentava...
ninguém mais entendia
ninguém compreendia
como depois de tudo ela ainda se permitia...
só ela sabia o que sentia
quando daquela água bebia...

DANIELA RESENDE - 01:44

Comments:

Quarta-feira, Março 17, 2004


Por que eu não pensei nisso antes?
(Itamar Assumpção)

Pensei em seduzir você com algo bem provocante
Gingando num bambolê, me equilibrando num barbante
Dançando numa TV, coberto com diamantes
Num carrão zero, por que que eu não pensei nisso antes?

Pensei em seduzir você daquele instante em diante
Além de fazer crochê, pensei dar vôo rasante
Ir ao cinema, escrever, reinar nesse caos reinante
Impressionante, por que que eu não pensei nisso antes?

Pensei seduzir você fazendo ar de importante
Te oferecendo um apê, um drinque ou um refrigerante
Testando HIV, consultando cartomante
Só sobre a gente, por que que eu não pensei nisso antes?

Pensei seduzir você domesticando elefantes
Cuidando bem de bebês, doando-me para transplantes
Eu mesmo ser meu dublê, meu próprio representante
Por cargas d'água, por que que eu não pensei nisso antes?

Pensei seduzir você mostrando-me confiante
Plantando um pé de ipê, ecólogo ambulante
Limpando o rio Tietê e outros rios restantes
Ser carioca e baiano, por que que eu não pensei nisso antes?

Pensei seduzir você, mudando-me qual mutante
De alguma estrela trazer um raciocínio brilhante
Bater no peito e dizer, num brado bem retumbante
Só penso em você, por que que eu não pensei nisso antes?


DANIELA RESENDE - 01:50

Comments:

Sábado, Março 06, 2004


...sobre ele...
parte I


Foram tantos desejos, anseios, sonhos, medos... tantos planos compartilhados...
restaram decepções e mágoas.
Ele sempre deixou seus relacionamentos inacabados...
ela nunca gostou de nada mal resolvido.

Foi o homem mais importante da vida dela, ensinou o companheirismo e o que é o sexo...
ela lhe ensinou o amor e a FÉ, ele até aprendeu a orar.
Sempre diferentes, mas pensavam-se completar
Ele gostava do que era rústico, ela apreciava o clássico.
Misturaram-se,
inclusive os gostos...
ele desenhou a casa,
ela queria branca com piscina
ele queria janelões de vidro, no meio do mato...
Ah! Não podia mesmo faltar verde, ela concordou em ter um jardim, sempre achou que a casa dele precisava de plantas para dar mais vida...

Os vidros que ele tanto queria, a feriram
Ela já não sabia mais gritar, nem como escapar, então mergulhou alguns de seus princípios... afundou outros sonhos...
JUNTOS acabaram com o futuro que sonharam
Ele continuava achando que a culpa era só dela
Ela... que ninguém erra sozinho...

DANIELA RESENDE - 02:21

Comments:

Terça-feira, Fevereiro 24, 2004



Ê ê ê... falta do que fazer...........

DANIELA RESENDE - 21:56

Comments:

Terça-feira, Fevereiro 10, 2004


"seus olhos brilham", foi o que ele disse... e realmente brilhavam, depois de tanto tempo voltaram a emanar luz, sem que ao menos percebesse raios de luz refletidos através do meu olhar... lá estavam eles novamente a iluminar meu caminho. Mas não deveriam, não por ele... agora me pergunto: Abro as portas pra você felicidade?


Abro e vos deixo entrar pela minha sala, invadir meus pensamentos, penetrar cada poro do meu corpo, inundar minha alma?
Abro e vos permito fazer-me rir, tornar-me ainda mais exuberante mesmo sabendo que por você meus olhos hão de transbordar meu mar, meu coração há de se machucar?
Ainda sim, será melhor deixar-te entrar?

DANIELA RESENDE - 00:00

Comments:

Sábado, Janeiro 31, 2004


O lugar era lúdico
Entre jogos, fantasias e magias
Ali estava a chorar
Entre salvadores, quadros e cores
Ele ali estava a me salvar
E logo as lágrimas cederam lugar
Para um sorriso vir a brotar
Histórias pra contar...
Papoulas coloridas para enfeitar
Aquele sonho do qual
não sabia se queria acordar...

DANIELA RESENDE - 20:07

Comments:

Domingo, Janeiro 18, 2004


A noite vem
Só pra lembrar
que ele sempre vai estar lá de noite
na noite
fico a recordar
aquele sorriso... o olhar
do jeito que só ele tem pra falar
e sempre quero estar lá de noite
na noite
continuo a imaginar...


Quanta "xaudade" de postar e visitar cada um de vocês... mas tenho sentido fortes dores nas mãos, o que pode acabar desencadeando a tão famosa e temível LER... portanto estou me tratando e vou me manter afastada do computador, espero que possam compreender... (a ausência de posts e comentários...)
Grandes beijos,
claro,
da garota que voa***

PS: Sá, não tenho conseguido entrar no seu blog =(

DANIELA RESENDE - 20:33

Comments:

Segunda-feira, Janeiro 05, 2004


Post fora de hora só porque amanhã, dia 6 é aniversário da Camila, irmã da garota que voa, é que ela disse que adora receber os parabéns... muito fofa essa minha irmã... 16 aninhos Mila, nem vai precisar mais falsificar carteirinha... hahaha, esse é o meu presente (gente... dá os parabéns pra ela, vai...), e não pense que esqueci do meu pastel, tá me devendo....


Mila

Milinha eu sei que a gente briga pra caramba, mas eu te amo muito, viu linda!
Muita saúde, juízo (pra usar, não só pra guardar...), paz e amor nesse seu coraçãozinho!
PARABÉNS!!!

DANIELA RESENDE - 02:02

Comments:

Quinta-feira, Janeiro 01, 2004


Hoje,primeiro dia do ano,
Primeiro dia de mais uma série...
E o que são os dias, o ano, senão aquilo que fazemos deles?
Escolhi que o meu ano, que o meu hoje, vai ser diferente, vou ser mais feliz, fazer meus dias carnavais com mais alegria, decidi mudar (de novo), lavar a alma mais vezes, me surpreender ainda mais, buscar minha cura -espiritual, emocional e física- com mais fervor, ser ainda mais forte do que sou, fazer da rotina novidade de um jeito novo e de novo me renovar, renascer... e você, o que pretende fazer?

Desejo a todos, nesse novo ano, que se inicia hoje, que possamos realizar a maior parte, dos nossos sonhos... mas que para isso saibamos lutar... e merece-los pois o melhor disso tudo é conquista-los... concretiza-los... não só ficar esperando que eles caiam dos céus... mas partir em busca... realiza-los!
FELIZ 2004 !

DANIELA RESENDE - 03:36

Comments:

Domingo, Dezembro 21, 2003


Bem... não estou muito bem com as palavras... mas não posso deixar de expressar o quanto vocês são importantes e o quanto os admiro, cada qual com suas peculiaridades... obrigada pelo carinho que dedicam a mim, pelos comentários deixados no blog, e-mails e telefonemas sempre cuidadosos, carinhosos e por vezes preocupados! Desejo do fundo do meu coraçãozinho (que é enooooooorme!) um feliz Natal, toda a paz e felicidade do mundo, além é claro, de muita saúde! E que 2004 seja um ano repleto de realizações!!!


"...festeje o ano que acabou não apenas como dias que se passaram, e sim como mais um trecho percorrido na estrada da sua vida!

Festeje a alegria que lhe extasiou e a dor que lhe fez crescer!
Festeje pelo bem que foi capaz de fazer e pelo mal que foi capaz de superar!

Festeje o prazer de cada conquista e o aprendizado de cada derrota!
Festeje por estar aqui!
Festeje a esperança no ano que se inicia, no amanhã!
Festeje a vida!

Abra os braços do coração para receber os sonhos e expectativas do ano novo.

Rodopie...jogue fora o medo, sinta a vida!...
Sonhe, busque, espere...ame e reame!

Deixe sua alma voar alto...pegar carona com os fogos coloridos.
Mentalize seus desejos mais íntimos e acredite: eles também chegarão ao céu.
Irão se misturar às estrelas, irão penetrar o Universo e voltarão cheios de energia para tornarem-se reais.
Basta você querer de verdade, ter fé e nunca, NUNCA desistir deles!"

DANIELA RESENDE - 20:14

Comments:

Domingo, Dezembro 14, 2003


Alguns receios, algumas visões... e dores, sim... físicas também.
Novos (e muitos) medos
Tomar decisões...
Agora não depende de mais ninguém - nunca dependeu -
Fundamental é ter forças (e mais forças) pra lutar, não desistir
Por mais que pareça vencido estar
É preciso tentar
É preciso voltar a voar
Vou ensaiar meus vôos
Para que sejam lindos e cada vez mais altos
Mas primeiro tenho de pular
E se tiver medo, jamais voltarei a voar...
Vou procurar um médico, para curar o que sozinha não posso
Vou olhar pra dentro, arrumar os cômodos e me aconchegar
Sim, sou forte... sei porque provei - aos outros e a mim mesma -
Já estive no poço, bem no fundo e foi assim que aprendi a voar...

Um único pedido... se eu cair, se o pior acontecer, por favor esteja lá...

DANIELA RESENDE - 17:59

Comments:

Domingo, Dezembro 07, 2003


Rifa-se um coração
Rifa-se um coração quase novo.
Um coração idealista.
Um coração como poucos.
Um coração à moda antiga.
Um coração moleque que insiste
em pregar peças no seu usuário.

Rifa-se um coração que na realidade está um
pouco usado, meio calejado, muito machucado
e que teima em alimentar sonhos e, cultivar ilusões.
Um pouco inconseqüente que nunca desiste
de acreditar nas pessoas.
Um leviano e precipitado coração que acha que Tim Maia
estava certo quando escreveu...
"...não quero dinheiro, eu quero amor sincero,
é isso que eu espero...".
Um idealista...Um verdadeiro sonhador...

Rifa-se um coração que nunca aprende.
Que não endurece, e mantém sempre viva a
esperança de ser feliz, sendo simples e natural.
Um coração insensato que comanda o racional
sendo louco o suficiente para se apaixonar.
Um furioso suicida que vive procurando
relações e emoções verdadeiras.

Rifa-se um coração que insiste em cometer
sempre os mesmos erros.
Esse coração que erra, briga, se expõe.
Perde o juízo por completo em nome
de causas e paixões.
Sai do sério e, às vezes revê suas posições
arrependido de palavras e gestos.
este coração tantas vezes incompreendido.
tantas vezes provocado.
tantas vezes impulsivo.
Rifa-se este desequilibrado emocional que abre
sorrisos tão largos que quase dá pra engolir
as orelhas, mas que também arranca lágrimas
e faz murchar o rosto.
Um coração para ser alugado, ou mesmo utilizado
por quem gosta de emoções fortes.
Um órgão abestado indicado apenas para
quem quer viver intensamente
contra indicado para os que apenas pretendem
passar pela vida matando o tempo,
defendendo-se das emoções.

Rifa-se um coração tão inocente
que se mostra sem armaduras
e deixa louco o seu usuário.
Um coração que quando parar de bater
ouvirá o seu usuário dizer
para São Pedro na hora da prestação de contas:
"O Senhor pode conferir. Eu fiz tudo certo,
só errei quando coloquei sentimento.
Só fiz bobagens e me dei mal
quando ouvi este louco coração de criança
que insiste em não endurecer e, se recusa a envelhecer"

Rifa-se um coração, ou mesmo troca-se por
outro que tenha um pouco mais de juízo.
Um órgão mais fiel ao seu usuário.
Um amigo do peito que não maltrate
tanto o ser que o abriga.
Um coração que não seja tão inconseqüente.

Rifa-se um coração cego, surdo e mudo,
mas que incomoda um bocado.
Um verdadeiro caçador de aventuras que ainda
não foi adotado, provavelmente, por se recusar
a cultivar ares selvagens ou racionais,
por não querer perder o estilo.
Oferece-se um coração vadio,
sem raça, sem pedigree.
Um simples coração humano.
Um impulsivo membro de comportamento
até meio ultrapassado.
Um modelo cheio de defeitos que,
mesmo estando fora do mercado,
faz questão de não se modernizar,
mas vez por outra,
constrange o corpo que o domina.
Um velho coração que convence
seu usuário a publicar seus segredos
e a ter a petulância de se aventurar como poeta.
(Clarice Lispector)

...quem se interessar, e merecer, estou rifando meu coração...

DANIELA RESENDE - 04:12

Comments:

Segunda-feira, Dezembro 01, 2003


Quando eu vou falar
Falo de você
Falo sem parar não sei porque
Quando eu vou olhar, olho pra você
Penso sem parar só em você
Você diz sim de uma maneira
Que até parece brincadeira
Fujo de você
Volto pra você
Sonho com você
Só com você
Se o meu coração
Bate sem querer
Bate sem parar
Só pra você
Já esperei a vida inteira
Quero resolver
A situação
Você vai dizer é sim ou não
Eu já não sei mais
Se esse não é sim
Se esse sim, assim
É não...
(Samba Torto - Tom Jobim)

Sei bem o que dizem os olhos teus, a encarar os meus a todo instante...
sabes bem o que dizes os meus, por vezes, tão inconstantes...
Quando lhe nego a mão, tenho vontade de entregar-lhe o coração
quando me dizes não, quase me perco na imensa escuridão...
mas sempre estás lá, a me salvar, a me esperar, a iluminar
e eu, sempre a lhe desejar...
Danço a lhe provocar
pois sei que estás a me espiar...
me instigas ao perguntar
respostas que me surpreendo ao lhe dar
então cala-me a boca
com a tua,
quente,
molhada,
sedenta, sempre, a me provar...

DANIELA RESENDE - 03:33

Comments:

Quarta-feira, Novembro 26, 2003


Tem uma propaganda perfeita da VISA, com o seguinte anúncio:
"Dizem que a vida é curta, mas não é verdade. A vida é longa pra quem consegue viver pequenas felicidades.E essa tal felicidade anda por aí, disfarçada, como uma criança traquina brincando de esconde-esconde. Infelizmente às vezes não percebemos isso e passamos nossa existência colecionando nãos: a viagem que não fizemos, o presente que não demos, a festa à qual não fomos, o amor que não vivemos, o perfume que não sentimos. A vida é mais emocionante quando se é ator e não espectador, quando se é piloto e não passageiro, pássaro e não paisagem, cavaleiro e não montaria. E como ela é feita de instantes, não pode nem deve ser medida em anos ou meses, mas em minutos e segundos. Esta mensagem da Visa é um tributo ao tempo. Tanto àquele tempo que você soube aproveitar no passado quanto àquele tempo que você não vai desperdiçar no futuro. Porque a vida é agora."

E na foto, a frase:"Veneza desaparece 1 cm por ano. Isto significa 1 cm de Veneza a menos a cada 365 dias."
Talvez este seja o tempo, talvez ele seja, nesse instante, a minha pequena felicidade, disfarçada...

DANIELA RESENDE - 00:28

Comments:

Quarta-feira, Novembro 19, 2003


Algumas pessoas tem um dom especial... conheço uma em especial que tem vários desses dons, e hoje, ela, minha avó, completa seus 90 anos de idade (bem vividos, como a mesma faz questão de dizer). Sua aparente fragilidade contradiz com a fortaleza revelada em suas sábias palavras e atitudes... um exemplo de mulher, esforçada, de fé e coragem, contadora de estórias e histórias.... inteligente, carismática e festeira (ah, como gosta de umas viagens, passeios e qualquer lugar onde haja um bom sanfoneiro -já que, segundo ela, os jovens de hoje não sabem dançar uma boa valsa...) não perdeu seu jeito de menina, com suas brincadeiras e piadas conquista a todos por onde passa!
VÓ, PARABÉNS PRA VOCÊ, NESTA DATA MAIS QUE QUERIDA! Que Deus continue lhe abençoando e que você continue nos iluminando!


Espero que tenha gostado da festa, pois vieram pessoas das mais variadas cidades e lugares -aliás, mais do que nós esperávamos-sem falar no sanfoneiro, hein?!! Pois até eu me diverti, dancei e fiquei muito feliz ao ver o quanto você é amada e querida por todos! (Ah, adorei conhecer o pessoal da sua sala da faculdade!)
TE AMOOO***

DANIELA RESENDE - 00:28

Comments:

Terça-feira, Novembro 11, 2003


Sim, ele ali estava, pedindo e deixando com que voasse por aqueles céus, com seus ares e olhares, gostos e sabores, aromas e cores, cantos e encantos, me encantando... sempre, e a cada vez mais. Desvendando meus segredos, instigando meus pensamentos, atos e desejos... o desejo do seu sorriso e suas palavras, seus olhos e seu olhar... agora apenas feche os olhos, e me permita entrar...

"Só penso em te encontrar
Eu preciso te tirar do sério
E desvendar os teus mistérios"

(Eu Preciso Te Tirar do Sério - Frejat)

DANIELA RESENDE - 01:50

Comments:

Terça-feira, Novembro 04, 2003


Havia naquele rosto um sorriso... no olhar, o desejo.
As bocas se atraíram, palavras se traíram...
Sussurros ao pé do ouvido...
Um telefonema prometido. Esperado. Cumprido.
O pedido concedido.
Um delicioso, e indescritível, jogo de sedução...corpos e bocas...


Se eu digo PARE
Você não repare, no que possa parecer
Se eu digo SIGA
O que quer que eu diga, você não vai entender
Mas se eu digo VENHA,
Você traz a lenha pro meu fogo acender

(Lenha - Zeca Baleiro)

DANIELA RESENDE - 02:49

Comments:

Quinta-feira, Outubro 30, 2003


Ele pode ser o príncipe, o rei da floresta, o dono da cidade, da banca, do jogo, mas nada disso interessa... ela quer apenas conhecer o que há por traz dessa máscara de homem constantemente feliz e popular, conhecer seus medos e angustias, alegrias e tristezas, sonhos e frustrações... quer mais do que um beijo, mais que uma ou duas noites, é sua alma o que ela deseja... nada além...

"Vai ter uma festa
Que eu vou dançar
Até o sapato pedir pra parar
Aí eu paro
Tiro o sapato
E danço o resto da vida."
(Chacal)

Vai ter uma festa... e ele vai estar lá...

DANIELA RESENDE - 01:21

Comments:

Domingo, Outubro 26, 2003


FELIZ... por 2 ou 3 motivos
1º A comemoração (improvisada) do meu níver foi perfeita, fomos (EU, 4 amigas, o digníssimo senhor diretor da faculdade e sua esposa) depois da aula para um bar (leia-se boteco) qdo a Aliny resolveu cantar sua 1ª versão de "parabéns pra vc...", envergonhada porém tampada por uma paredinha que o local me proporcionou continuamos no "bar", o diretor foi embora e nós mudamos para outra mesa, localizada estrategicamente no meio do boteco, qdo a Aliny resolveu cantar a 2ª versão de "parabéns pra vc..." e dessa vez tive que ficar de pé para todos verem quem era a aniversariante... depois do pequeno mico, conhecemos o Donatto, representante da Brahma (que eu insistia chamar de "Onato" ou "Bonato"), papo vai, papo vem, pedi a ele que tirasse umas fotos da gente... tiradas as fotos ele andava de um lado pra outro, conversava cada hora com um e não largava minha máquina, (e eu achando que ele ia sumir c/ a máquina...), mas depois de um tempo ele voltou, apagou a luz do boteco e uma 3ª versão do "parabéns pra vc..." foi cantada, (dessa vez o bar todo cantou), vi um pratinho vindo em minha direção com uma vela fincada num ¿bolo¿ (que na verdade era um pedaço de angu -afinal eu estava num boteco!)tive que soprar velinha... a pagação de mico -com a contribuição de todos- só aumentava... aí ganhamos algumas cervejas e uma pinga de uva... tudo presente pra aniversariante (que não bebe...), são momentos como esse que dão sentido e tornam a vida mais gostosa...
2º Meu computador voltou pra casa, não resistiu muito tempo longe de mim! (ainda bem, pq estava sentindo muita falta dele tb...rs...), agora já posso me comunicar com vcs =)

DANIELA RESENDE - 01:06

Comments:

Sexta-feira, Outubro 17, 2003


Pensamentos, dúvidas, tolas e cruéis, desejos, expectativas, perspectivas... mudar, sempre e para melhor, não só levar a vida, mas vivê-la intensamente como antes, porém sem os velhos erros, pois com eles já aprendi o suficiente... não quero mais seres inanimados e ralações destrutivas, e sim aprender coisas novas, abandonar antigos fantasmas, compartilhar o pouco que sei... que o medo de tentar não pouse sobre minhas asas, ainda prefiro tentar e errar do que apenas me conformar, prefiro voar. Já aprendi a sorrir, durante muito tempo passei a chorar... que continue expressando, bem ou mal, meus sentimentos, que permaneça fiel aos meus princípios e que jamais me envergonhe de assumir a presença de Deus em minha vida.

Acho que este é meu último post com 19 aninhos...

DANIELA RESENDE - 21:49

Comments:

Sábado, Outubro 04, 2003


Asas azuis

Que tenha asas
e que estas sejam azuis,
quero que conheças os sabores do mundo
desde o doce da paixão
ao amargo da solidão e se
dentre todos os sabores e cores
ainda assim preferir o meu
gosto e o meu tom,
se ainda assim me quiser,
não tenha medo de voltar e tentar
pois estarei certa de que me amas
e todo, todo o amor que houver nessa,
e em outras vidas,
serás somente seu.

DANIELA RESENDE - 17:38

Comments:

Quarta-feira, Outubro 01, 2003


Escrevi pensando em algumas pessoas que passaram pela minha vida.. pessoas certas,em momentos errados...

Das que fugi...
Ajudei muita gente...
drogados, gays, bêbados, prostitutas...
gente problemas de família,
gente com dilemas amorosos.
E quanta gente já amei...
por quanta gente já sofri,
por tanta gente já chorei,
mas também, por tanta gente ja sorri...
tantas vitórias já ví,
tantas derrotas assisti.
Muitas pessoas ouvi...
de tantas outras fugi...


DANIELA RESENDE - 04:26

Comments:

Terça-feira, Setembro 16, 2003


E o momento aconteceu...
Último dia de festa... novamente os dois lá estavam, mas dessa vez dispensou menos atenção a ela, a multidão o distraia e ela longe dele, resolveu também cair na folia.
Quando já sem esperanças ia embora o avistou, caminharam juntos e parecia que no mundo só os dois existiam. Entre elogios, palavras desinteressadas e confissões, um beijo foi dela roubado. Os outros foram trocados...
Surpreendente e inesperado, ao menos naquele momento...

DANIELA RESENDE - 01:16

Comments:

Domingo, Setembro 14, 2003


Algumas palavras naquela tarde em que acidentalmente se conheceram foram trocadas, mas não se lembraria dela... ela sim, não o esqueceria. Horas se passaram e finalmente...
Multidão.
Música.
Alegria.
Dança.
Festa.
Começou o carnaval! Tudo fora de época, ele, ela, o carnaval...
Ambos lá estavam, avistou-o e ficou a observar... pensou que não teria olhos para ela, mas sim, teve olhos e palavras. Sem dúvidas eram muito diferentes, o que só fez com que o interesse aumentasse ainda mais.
Ele se insinuou, mas diante de tudo o que ela havia visto naquela noite, não poderia, e apesar de querer não disse que sim... nem que não, apenas olhou-o fixa e misteriosamente deixando a dúvida pairar... certa de que em outro momento haveria de acontecer....

Será???

DANIELA RESENDE - 16:47

Comments:

Terça-feira, Setembro 09, 2003


Não, nada diferente aconteceu, não vi um passarinho verde, nenhum ET brincou aqui no meu quintal, meu celular não tocou, nem encontrei um grande amor, mas algo aconteceu dentro de mim, uma sensação inebriante invadiu todo o meu ser...

Calmaria. Disposição. Satisfação.
Coisas belas se fazendo notar, se descobrindo e redescobrindo no meu interior. Vontade de viver e melhorar...voar, é isso, estou voando novamente!

DANIELA RESENDE - 00:58

Comments:

Sábado, Setembro 06, 2003


Não sendo nada original, vou também fazer uma lista de algumas coisas que fiz...

Eu já andei de trem, avião, bicicleta e levei um tropeção!
Eu já conheci uns garotos super legais de BH em uma das minhas viagens a Piúma...
Eu já tomei banho de chuva e foi um dos banhos mais divertidos que tomei...
Eu já chorei de dor, de raiva, de felicidade, de saudade...
Eu já amei demais, tive ciúmes e coisas assim...
Eu já esperei reconhecimento e isso, não espero mais.
Eu já fui à Diamantina e adorei o pilão gigante que tem na casa do "Jú"! (Juscelino k.)
Eu já conheci alguns lugares da Bahia, do Rio, Espírito Santo e muitooos de Minas!!!
Eu já comprei um livrinho do kama-sutra...
Eu já disse várias coisas com um simples olhar...
Eu já fiz ginástica, hidro, natação e 7 anos de ballet...ufa!
Eu já me assustei com um bêbado de madrugada e ele se assustou com o meu susto e saímos correndo em direções opostas! (não foi nada legal, ta?!)
Eu já abracei um poste... ta bom, vários postes...
Eu já andei igual uma hiena (em pleno parque de exposição...)(e fiz um monte de gente rir...)
Eu já dancei de sapatinho de lã vermelho e pijama rosa (mas isso foi em casa, uma vez só!)
Eu já sorri para estranhos e ri sozinha no meio da rua, por não me conter de felicidade...
Eu já fui num show perfeito do Flávio Venturini...
Eu já brinquei de dani-bolinha e já conheci o poof!!!

DANIELA RESENDE - 00:40

Comments:

Segunda-feira, Setembro 01, 2003


Não posso deixar de agradecer a certas pessoas que me apoiaram quando souberam que minhas asas estavam sem forças para voar...

DUDU VILLA obrigada por se importar, pela ligação, por tentar me acalmar, por ter me ouvido (sem eu precisar pedir), por ter se doado e me confortado num momento tão difícil no qual a única coisa que eu precisava era de alguém... e este alguém foi
meu anjo carioca. Mais uma vez, obrigada por ter vindo até mim, tenho certeza de que você tem asas. Não tem?
RAFAELA minha inseparável amiga, tudo bem que nós discutimos... e lhe peço desculpas, sei que quer o meu bem, mas algumas coisas são inevitáveis...só podia ser a gente mesmo, hein... duas mulheres desse tamanhão chorando no meio da rua (e atrapalhando o povo todo a passar..rsrsrs)
ELIANE SOL ainda bem que você veio pra BQ e não me deixou ficar trancada em casa, dançar me deixou melhor (e como...rsrsrs). Precisa vir mais aqui... a gente fica morrendo de saudades... desnaturada!

Quando pensei que as surpresas haviam acabado, me surpreendi com um e-mail de uma pessoa que pelo nome não conhecia, bem,
pelo nome... ao ler suas linhas que tanto carinho traziam, sentimentos dos mais conturbados me invadiram. Sorri, e chorei muito (as lágrimas foram inevitáveis...). Ele entendeu exatamente o que meus vôos significam e a importância que eles têm. Contou-me sobre antigos sonhos de infância e para minha surpresa, fez uma proposta. Irrecusável e ainda mais emocionante.
Meu amigo, com sua ajuda será muito mais fácil voar e esta arte lhe ensinar.

Sim, vamos voar juntos!


Ainda cansadas estão minhas asas, mas aos poucos estou renovando minhas forças.
Obrigada do fundo do coração, a todos vocês, que se importaram, se preocuparam e demonstraram, cada um ao seu modo, carinho e amizade por mim, vocês foram (e sempre serão) importantes e inesquecíveis !

DANIELA RESENDE - 01:51

Comments:

Sexta-feira, Agosto 29, 2003


Hoje, tudo o que mais precisava era de alguém... alguém que me emprestasse os ombros pra que eu pudesse chorar, ou meros (mas valiosos) minutos pra ouvir minhas palavras e meu silêncio... alguém que simplesmente soubesse estar... que me compreendesse (ou ao menos tentasse)...
Mas onde estão todos agora? Se divertindo, trabalhando, fazendo nada em algum lugar que não sei onde. Estão ocupados demais, em todos os lugares... só não estão aqui quando mais preciso... as pessoas não sabem doar-se as outras.
A garota que quer continuar voando está com as asas cansadas...

DANIELA RESENDE - 00:44

Comments:

Sábado, Agosto 23, 2003


Conheci uma pessoa, quando ainda presa em cativeiro estava, que tentou me mostrar que voar é preciso, que o mundo foi feito pra mim, que o mundo e a vida estavam a minha espera... aos poucos fui abrindo os olhos, enxergando os fatos e reagindo (nem sempre da melhor maneira) a eles .
A porta da gaiola foi aberta e sair de lá, dependia só de mim... contaram-me que tinha asas e tentei alçar vôo, mas minhas tentativas sempre me remetiam ao mesmo lugar, à minha grande gaiola sem grades...o que haviam feito comigo? Domesticaram-me... era totalmente dependente (de algo que sabia não me fazer bem...).
Demorei, mas finalmente descobri que sei e posso voar. Me libertei. Voei. E desde então o céu é o meu lugar, o meu limite...
Hoje, ninguém pode me fazer desacreditar... eu já desacredito em quem antes não me deixava acreditar...
Rick Rick... obrigada por me mostrar que sim, eu posso voar e ser feliz! E que morrer lentamente não combina mesmo comigo! Fiquei contente em lhe reencontrar!
Beijos da garota que agora sabe voar*** Dani Dani!

DANIELA RESENDE - 16:08

Comments:

Sexta-feira, Agosto 22, 2003


Morrer lentamente
Morre lentamente quem não troca de idéias, não troca de discurso, evita as próprias contradições.

Morre lentamente quem vira escravo do hábito, repetindo todos os dias o mesmo trajeto e as mesmas compras, quem não troca de marca, não arrisca vestir uma cor nova, não dá papo para quem não conhece.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o "preto no branco" ou os "pingos nos is" a um turbilhão de emoções indomáveis, justamente as que resgatam o brilho nos olhos, sorrisos e soluços, coração aos tropeços...sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho, quem não se permite, uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não acha graça de si mesmo.

Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da chuva incessante, desistindo de um projeto antes de iniciá-lo, não perguntando sobre um assunto que desconhece e não respondendo quando lhe indagam o que sabe.

Evitemos a morte em suaves prestações, lembrando sempre que estar vivo exige um esforço bem maior do que simplesmente respirar!...

-Rick, obrigada pelo texto...

DANIELA RESENDE - 00:18

Comments:

Domingo, Agosto 17, 2003


Na constante busca por novos céus, encontrei novos ares, que reservam alguns segredos e encantos inexplorados.
Deparei-me com o inesperado, que olhou-me bem ao fundo dos olhos parecendo desvendar meus mistérios...
Instigando meus vôos por universos desconhecidos - talvez por isso perigosos - num festival de formas, aromas,cores e sabores...

DANIELA RESENDE - 21:26

Comments:

Segunda-feira, Agosto 11, 2003



Ahhhhhhh deixa?!?!?

DANIELA RESENDE - 01:27

Comments:

Quinta-feira, Agosto 07, 2003


Uma daquelas pessoas especias...
Há alguns anos conheci uma daquelas pessoas especiais, uma dessas raras de se encontrar... ontem descobri que ele vai se mudar e desconfio que não saiba da sua importância na minha vida...
Foi uma daquelas pessoas que nos dizem verdades que doem, verdades que não queremos ouvir nem acreditar, mas que mesmo sabendo disso não deixam de nos falar.
O que ele queria? Me fazer feliz.
Com ele não me permiti voar, tive medo do céu desconhecido e incerto. Mas, teimoso e persistente, caminhou ao meu lado, respeitando meus limites, princípios e necessidades... fez florescer sorrisos em meus lábios e brilho aos meus olhos, acalmou minhas crises, sorriu e chorou comigo... era mágico estar com ele.
Ramon, continue sempre buscando a sua felicidade, onde quer que ela esteja. Lute pelos seus sonhos. Vc sabe como. Eu já vi!
Nunca vou me esquecer das brigas bobas e das conversas sérias, obrigada por ter existido (e acontecido) na minha história!
Bjks da amiga (doida) que te adora!
(a tristeza da despedida só não foi maior do que a alegria de um dia ter te conhecido e feito parte da sua vida!)

DANIELA RESENDE - 01:14

Comments:

Sábado, Agosto 02, 2003


Estava disposta a mudar, comecei pelas gavetas, pelas pequenas coisas, queria rasgar antigos papéis, bilhetes guardados... encontrei algumas cartas e cartões, não tive coragem de rasgar o passado, mas me desfiz das lembranças ruins que ele trazia. Precisava me libertar de todas as mágoas e rancores, estava disposta a perdoar. Tudo.
...e a menina que antes usava cores mórbidas e derramava lágrimas, hoje via azul e distribuia gostosas gargalhadas pelo mundo, e para o mundo.
Perdoar deixa a gente mais leve, mais solta, diria que mais feliz. Bem mais feliz!

DANIELA RESENDE - 00:33

Comments:

Nome:Daniela Resende


E-mail: daninharesende@hotmail.com


Blogs Que Eu leio:
Urdidura
Bacalhau Transgênico
Bloco do eu sozinho
Desopilando
Fantástico Mundo de Mell
Lua estrelada
O Nauta
pensamentos imperfeitos


Arquivo:



Créditos